Por Ronaldo Pacheco

Nesta minha estréia como colunista deste site gostaria de relatar uma experiência que tenho vivido nestes últimos três anos e que, na minha opinião, pode ser a redescoberta do basquete brasileiro: A LDB – Liga de Desenvolvimento do Basquete, que na sua primeira versão tinha o nome de LDO – Liga de Desenvolvimento Olímpico.

Essa competição, há muito tempo sonhada pelos técnicos e atletas brasileiros, foi idealizada pelo Kouros, na época presidente da Liga Nacional de Basquete (NBB), tendo como primeiro diretor técnico o Lula Ferreira e hoje dirigida pelo Paulo Bassul.

Ronaldo e RonaldPoderia ser apenas mais um campeonato como tantos outros que já foram programados pelos dirigentes, mas a organização, o profissionalismo e principalmente a compreensão do que estava surgindo fez com que técnicos, atletas, árbitros e dirigentes se irmanassem para que todas as ações fossem exercidas com responsabilidade e ética, em um nível de comprometimento jamais visto em uma competição da qual eu tenha participado.

As clínicas com técnicos das diversas equipes, se unindo em grupo para orientar e corrigir atletas de diferentes times, demonstravam a vontade de todos em ver o basquete brasileiro crescer. Os jogos transcorriam sem nenhum problema disciplinar, apesar do alto espírito competitivo de todos.

Esta filosofia de uma disputa de alto nível, dentro de uma conduta ética, permanece até hoje nesta competição que encerrou agora, em 2013, sua terceira edição.

Mais importante ainda é que já está garantida a realização da quarta em 2014, sendo que o projeto para 2015 e 2016 está sendo encaminhado para o Ministério dos Esportes, devendo ser aprovado sem maiores problemas.

Para este ano, está prevista na primeira fase uma clínica para todos os jogadores com técnicos da NBA e, ao final do ano, as equipes classificadas de primeiro ao quarto lugares disputarão a Copa América com outras quatro equipes sul-americanas.

Em relação ao basquete brasiliense, este projeto tem ressaltado a importância do trabalho de base aqui realizado, pois nesses três anos de participação do UniCEUB/BRB inscrevemos uma equipe montada em sua grande maioria por atletas formados em Brasília, o que demonstra a capacidade do trabalho de base realizado em nossa cidade.

Nossos atletas não têm mais a necessidade de buscar outros centros para serem vistos a nível nacional. Temos uma equipe bastante jovem, com vários jogadores de 18 e 19 anos que têm se destacado nesta competição, o que garante uma continuidade no trabalho e uma expectativa de evolução de nosso time. Além disso, temos acompanhado a evolução de vários atletas jovens da cidade, que em breve poderão estar participando da LDB, representando a equipe brasiliense.

No primeiro ano desta competição (LDO), ficamos em quarto lugar, surpreendendo a todos que acompanharam a Liga, pois desde o início não éramos vistos como um time que pudesse se classificar para as finais. No ano seguinte, ficamos em sexto lugar e agora, em 2013, voltamos a ficar entre os quatro primeiros colocados, sendo que tivemos grandes chances de disputarmos o título, surpreendendo novamente as equipes tidas como favoritas.

O importante para nossa cidade é a confirmação da qualidade do trabalho realizado pelos inúmeros técnicos formadores. Não é o trabalho de um clube, mas a junção do trabalho de todos, que demonstra também a qualidade dos atletas que aqui formamos.

UniCEUB-BRB Sub-22Se antes era necessário buscar outros centros para ter oportunidades, hoje o trabalho se inverteu, pois recebemos, a todo momento, mensagens de atletas que querem vir jogar aqui, por saberem do compromisso que temos com um trabalho sério e de qualidade, em uma cidade que sempre respirou e viveu este esporte, mas que só agora teve essa vocação percebida pela mídia e constatada através de resultados pelos que acompanham o basquetebol nacional.

A competição está aí, a cada ano se solidificando e apontando novos caminhos para o basquete brasileiro. É necessário que nós técnicos continuemos buscando o aprimoramento em nosso trabalho e os atletas continuem se dedicando ao treinamento, pois agora as portas estão abertas para a exibição de seus talentos.

A vitrine está montada e a qualidade do que se vê dá esperanças de dias melhores para o basquete local e nacional.

Até a próxima!